Tese sobre a arquitetura de Porto Alegre

No Museu da Comunicação, nós temos a honra de receber vários pesquisadores que usam o nosso acervo para escrever trabalhos acadêmicos de várias partes do Brasil e do mundo. O pesquisador Renato Holmer Fiore fez a tese para a sua graduação de Ph. D. em Arquitetura na Universidade de Londres no ano de 2000 utilizando o acervo do Museu da Comunicação. Segue o Abstract do trabalho acadêmico:

O presente trabalho é um estudo do “caráter local” na arquitetura, analisado em relação a casos específicos de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul (Brasil). “Localidade” tem sido uma questão central nos discursos sobre a qualidade formal na arquitetura. Artefatos arquitetônicos são normalmente entendidos, esteticamente, em relação ao seu lugar e contexto. Essa questão, entretanto, envolve diferentes aspectos, e pode ser interpretada de diferentes maneiras, sendo conectada também a discussões sobre o “caráter regional” ou “nacional”.

Os dois primeiros capítulos dessa tese discutem a existência de visões e formulações em relação ao sujeito que nós descrevemos como o “caráter arquitetônico local”, com uma revisão de contribuições do internacional principal (principalmente Europeu) e os escritores arquitetônicos locais do século 20. Visando o desenvolvimento de uma renovada investigação do sujeito, os capítulos seguintes analisam casos de Porto Alegre. Uma aparente cidade caótica com um pequeno e curto passado preservado, onde diferentes influências estrangeiras desempenham papéis importantes, Porto Alegre aparece como uma problemática situação, especialmente do ponto de vista das proposições que são principalmente européias na sua origem, e tende a concentrar nos casos geralmente considerados como sendo de alta qualidade ou representando um caráter local, nacional ou regional.

Os casos específicos analisados são lugares/prédios que são importantes na imagem da cidade, estrutura e vida, e representam diferentes situações de admirar a arquitetura no caráter local. Ela inclui arquitetura histórica e moderna, arquitetura monumental e estruturas “utilitárias” e também abrem o espaço urbano. As análises concentram na importância formal/estética num nível público e fazem uso de formas de representação de objetos de estudos na imprensa, observando os processos históricos nos quais o caráter local é gerado, mudado e entendido. O resultado da análise é para demonstrar que o caráter local, ao invés de ser um valor fixado, é fundamentalmente dependente de circunstâncias históricas e, portanto, mutável.